• Vista aérea do Estádio de Zinco (Governador Bley) 1931

  • Aula de aplicação no Estádio de Zinco (Governador Bley) 1931

  • Aula de aplicação no Estádio de Zinco (Governador Bley) 1931

  • Aula de aplicação no Estádio de Zinco (Governador Bley) 1931

  • Alunas do Curso de Emergência em Educação Física do Espírito Santo - 1931

  • Alunos do Curso de Emergência em Educação Física do Espírito Santo - 1931

  • Professores do Curso de Emergência em Educação Física do Espírito Santo - 1931

Entrar

Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Cadastre-se agora.

Vistantes

Bem vindo
Visitante
avatar
Já existem:



Visitantes deste site
Elementos necessários para a construção de um plano de aula
  Posted on Sat 23 May 2009 by admin (18081 reads)



ELEMENTOS NECESSÁRIOS PARA A CONSTRUÇÃO

DE UM PLANO DE AULA



O plano de aula é produzido como uma necessidade de caracterizar o que será imperativo para o desenvolvimento de uma aula, sabendo que nem tudo poderá ser previsto, uma vez que o plano é um objeto que busca antecipar uma reação, por meio de um conjunto de teorias da aprendizagem. O plano de aula se configura como uma busca de antecipar as reações dos praticantes, o que nem sempre é atingido, pois o cotidiano é mais dinâmico do que as teorias que buscam organizar/colocar em ordem essa realidade. Ele se constitui como um mapa em que estão organizadas as coordenadas do trabalho. Geralmente os mapas são bidimensionais, desse modo, os obstáculos que estão no percurso não podem ser visualizados de todos os ângulos. O plano de aula como um mapa, prevê algumas situações com as quais o professor irá se deparar no cotidiano, mas nem todas. Então o plano é um instrumento que oferece certo grau de acertos, funcionando também como um objeto que possibilita que se pense em/nos caminhos alternativos para que a aula aconteça.

O plano de aula possui certas formalidades, elementos que devem estar presentes na sua organização. São eles:


Cabeçalho é um espaço de apresentação, no qual se identifica a escola (nome da instituição de ensino - também do centro e do departamento se for o caso), o professor, a área do conhecimento, o tema ou assunto da aula, o nível de escolarização em que a aula será aplicada, o período (matutino, vespertino, noturno) e a carga horária (quantos minutos serão dedicados à aula).


Objetivos a serem alcançados com as aulas que serão ministradas. Algumas palavras-chave ajudam a organizar os objetivos, como: capacitar os alunos para..., instrumentalizar, ampliar o conhecimento sobre..., conhecer as relações do..., aprender a/sobre....


Conteúdos são os meios pelos quais se espera alcançar os objetivos. Atividades propostas (esportes, jogos, brincadeiras, manifestações culturais) explicitadas e explicadas em relação ao sentido de estarem sendo utilizadas, sua adequação ao nível de escolarização dos alunos e nível de desenvolvimentos motor e cognitivo, sem deixar de dar atenção às relações culturais e afetivas que os alunos possuem com as práticas que estão sendo compartilhadas nas aulas.


Procedimentos metodológicos também são os meios pelos quais se espera alcançar os objetivos, mas nesse caso é nesta seção em que se apresentará a lógica estabelecida ou a seqüência didática em que o conteúdo será trabalhado/exposto no decorrer da aula, considerando que toda aula tem abertura, desenvolvimento e encerramento (início, meio e fim). Desse modo, ele deve prever a adequação dos estímulos/atividades para a operacionalização do aprendizado, com uma estrutura flexível, mas com ordenação lógica. Quais são os procedimentos didáticos/estratégicos utilizados para a aprendizagem dos alunos (procedimentos adotados para facilitar o processo de aprendizagem), como: aulas expositivas, dinâmicas, debates, seminários, exercícios, análises, situações-problemas e outros que o professor julgue necessário para alcançar os objetivos.


Recursos didáticos como materiais que serão necessários para o desenvolvimento da aula. Os recursos didáticos devem ser previstos, pois são eles que impõem os desafios e facilitam o processo de apropriação de um saber que se quer compartilhar na aula, ou competências de ordem física/cognitiva/ética/estética que se quer desenvolver. Os recursos devem ser adequar aos objetivos que se quer alcançar no ensino.


Metodologias de avaliação são as técnicas que o professor utilizará para avaliar o ensino-aprendizagem, que variam de acordo com a proposta metodológica empregada para o ensino. Pode ser a participação dos alunos nas atividades propostas, desenvolvendo competências sociais (socialização), nos níveis que são alcançados na resolução de problemas postos pelo professor, em uma concepção mais tradicional de ensino. No desenvolvimento de capacidades para problematizar os conteúdos propostos, sua transformação e produção de níveis de autonomia nos usos dos saberes, em uma aula aberta ou progressista, em que há a participação ativa do aluno na construção da aula. Ampliação das capacidades físicas e funcionais do organismo, em uma metodologia voltada para a promoção da saúde. No desenvolvimento motor, ampliação dos padrões e seu refinamento, em uma proposta desenvolvimentista. A forma de avaliar dependerá de quais objetivos foram estipulados pelo professor para serem alcançados no ensino-aprendizagem, que deve fazer sentido dentro da proposta pedagógica em que a aula foi projetada.


Referências são os autores que forneceram o conteúdo teórico para o desenvolvimento da aula (em livros, periódicos, CD-ROM, sites, etc). As referências devem ser formatadas conforme as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) com base na Norma Brasileira Registrada (NBR) 6023.


Embora represente apenas uma faceta da atividade docente, o plano de aula é um elemento fundamental para a maior qualidade, equilíbrio e segurança na elaboração das atividades de ensino.


REFERÊNCIAS


BENINCÁ, E. As origens do planejamento participativo no Brasil. Revista Educação - AEC, n. 26, jul./set. 1995.

LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão escolar: teoria e prática. Goiânia: Editora alternativa, 2001.

LÜCK, H. Planejamento em orientação educacional. Petrópolis: Vozes, 1991.

MATTOS, L. A. de Sumário de Didática Geral. Rio de Janeiro: Aurora, 1971.

PADILHA, R. P. Planejamento dialógico: como construir o projeto político-pedagógico da escola. São Paulo: Cortez; Instituto Paulo Freire, 2001.

VASCONCELLOS, C. S. Planejamento: plano de ensino-aprendizagem e projeto educativo. São Paulo: Libertad, 1995.




EXERCÍCIO


Construção de um plano de aula de acordo com uma

proposta metodológica de ensino da Educação Física



Cabeçalho

- nome da instituição de ensino:

- nome do professor:

- área do conhecimento:

- tema ou assunto da aula:

- nível de escolarização:

- período:

- carga horária:


Objetivos





Conteúdos





Procedimentos metodológicos





Recursos didáticos





Metodologias de avaliação





Referências











Index :: Print